Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



http://www.publico.pt/politica/noticia/ponto-final-diz-passos-que-nao-vai-reunir-mais-com-ps-para-fazer-de-conta-1711147?a

“Ponto final.” Passos não vai reunir-se mais com PS para “fazer de conta”

“Dá a impressão que o PS ganhou as eleições e está a fazer diligências para formar governo”, disse o líder da coligação de direita.

Pedro Passos Coelho deixou nesta quarta-feira um aviso claro: já teve duas reuniões com o PS e não está disponível para mais, se for para andar a “fazer de conta”. O líder da coligação Portugal à Frente disse mesmo que talvez seja altura de “pôr um ponto final naquilo a que o país tem vindo, atónito, a conhecer em praticamente uma semana”, como se tivessem sido os socialistas, e não a coligação de direita, a ganhar as eleições.

“Dá a impressão que o PS ganhou as eleições e está a desenvolver diligências para formar governo", disse nesta quarta-feira, citado por diversos meios de comunicação social e à margem de reuniões preparatórias sobre o Conselho Europeu. O líder da coligação de direita mostrou-se ainda indisponível para andar a fazer reuniões com os socialistas que não cheguem a qualquer resultado e ironizou, sobre o cenário das negociações em curso, que "dá a impressão que o PS ganhou as eleições e está a fazer diligências para formar governo".

Por isso, deixou um aviso os socialistas: “Já tive duas reuniões com o PS e não tenciono ter mais nenhuma para fazer de conta ou simular que se está a alcançar algum resultado, pois o PS não deu contributo nenhum para que esse resultado fosse alcançado.”

O líder da coligação Portugal à Frente declarou ainda que o país não pode ficar "refém" de um jogo entre partidos: "Não vamos inverter esses papéis e eu não aceitarei que o país fique refém deste jogo que é um jogo político-partidário, que pode ser muito respeitável para o PS, mas não é um jogo que possa prosseguir com o meu apoio."

Passos Coelho, que está à espera que o Presidente da República o indigite para formar governo, insistiu que “está na altura de dizer, de forma audível, que o PS perdeu as eleições, não as ganhou, e portanto cabe-lhe encarar com humildade e com responsabilidade o resultado destas eleições”.

À margem daquelas reuniões, sublinhou que está "sempre disponível, aberto, para poder atingir qualquer compromisso" que dê aos portugueses garantia de que os próximos anos serão de crescimento e de retoma do emprego", mas sem esquecer que o resultado dá a vitória à coligação e não ao PS. “Não vamos virar o resultado das eleições do avesso", disse, deixando claro que não vai "governar com o programa do PS" e não vai "com certeza sujeitar o país a uma espécie de chantagem política em que quem perdeu impõe a quem ganhou as condições”.

Passos ressalvou que os socialistas podem, porém, apresentar os seus contributos "em qualquer altura" e defendeu que a coligação deu "os passos que eram necessários e indispensáveis, com muita humildade, para procurar o apoio do PS".

"Nós dissemos com muita clareza: não tivemos a maioria absoluta no Parlamento e, portanto, não podemos governar só com o nosso programa. Estamos disponíveis para fazer concessões, mas é preciso saber o que é que o PS quer para poder dar aos portugueses condições de estabilidade", defendeu.

Na terça-feira, no final de duas horas e um quarto de encontro entre os representantes da coligação Portugal à Frente e do PS, Passos Coelho afirmou que não se tinha “avançado rigorosamente nada” desde a primeira reunião. Já as negociações entre PS, Bloco de Esquerda e PCP têm corrido melhor, admitiu numa entrevista ao Financial Times o líder socialista António Costa.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Deixem-mo-nos de tretas...este "murro na mesa!" hoje de PPC tem ou não razão de ser?.. claro que tem..porquê?..em primeiro lugar é preciso ter em conta o que se passou ontem à noite, após uma segunda reunião PS / PàF(na anterior o PS acusava a PàF(e bem) de não ter tomado uma iniciativa de compromisso), nesta a PàF avança com algo(tirado do projecto PS e bem) mas o PS diz é "insuficiente"(há muitas mais questões do programa socialista a ter em conta sem contrapor o concreto), ou seja, o PS/o vergonhosamente vencido/diz à PàF /vencedora/,em 4/10/, ou vocês aceitam o nosso "balde!" ou não há "milho para pardais"pois temos "uns pombinhos prontos para o nosso milho!" e depois em segundo lugar hoje numa entrevista internacional AC é taxativo "estamos prontos para um governo de esquerda"..!!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:05


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D