Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O MEU....TOTAL " REPÚDIO "!

por O Fiscal, em 22.11.14

http://www.publico.pt/politica/noticia/catarina-martins-be-diz-que-investigacao-sobre-socrates-cabe-a-justica-1677112

 

"Aleluia", exulta deputado do PSD

Deputada do BE Mariana Mortágua considera que detenção de Sóctrates mostra a podridão do regime.

Duarte Marques congratulou-se com a detenção de Sócrates

As lideranças do PSD e BE recusaram neste sábado comentar a detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates, afirmando que essa é uma investigação que cabe às autoridades judiciárias.

As reacções nos restantes partidos políticos à detenção de José Sócrates variaram entre a cautela e a exultação. Um conjunto de dirigentes políticos congratulou-se com a prisão do anterior primeiro-ministro. Exemplo disso foi a deputada do BE Mariana Mortágua, que resumiu o seu entendimento numa frase.  “É o regime, está a cair de podre. E já vem tarde”, escreveu no Facebook.

O deputado do PSD Duarte Marques reagiu da mesma forma. “Aleluia! A malta de Mação não perdoa”, comentou naquela rede social, numa referência ao facto de o juiz Carlos Alexandre ser natural daquela localidade. Mais tarde, Duarte Marques haveria de colocar uma notícia com três anos em que o próprio apelava à PGR para investigar Sócrates. “14.Outubro de 2011. Já lá vão três anos”, titulou.

Contactado pelo PÚBLICO, Duarte Marques lembrou que, quando Sócrates ainda era primeiro-ministro, defendeu o julgamento do então chefe do Governo “pela ruína em que deixou o país, por actos políticos danosos, por decisões que tomou e que enfraqueceram o Estado ou que foram ruinosas havendo consciência prévia disso”.

“Não pedi por estas razões [as que Sócrates está a ser investigado], que a serem provadas, poderão ser a confirmação dos actos danosos em que insistiu. Deixemos a justiça trabalhar em paz”, acrescentou.  

Ainda assim, outros dirigentes partidários assumiram uma posição mais cautelosa. Como Carlos Carreiras, vice-presidente do PSD: “Nem sei o que dizer. Não tenho narrativa.” Mas horas mais tarde tentava associar o nome de Sócrates ao processo de eleições internas do PS: “Será que o militante José Sócrates sairá a tempo de ir votar?”

O também "vice" de Passos Coelho Marco António Costa escusou-se a comentar: “O PSD não faz comentários sobre matérias de justiça. Isto não se trata de um tema político, portanto não merece nenhum comentário político do PSD.”

O líder do PCP falou também no espaço a dar à Justiça: “Em função da pessoa que é não alteramos a nossa posição de princípio, que é a de que deve haver o apuramento de toda a verdade, o funcionamento da investigação e da Justiça e não apressar julgamentos ou condenações. Consideramos que ninguém está cima da Lei, e é nesse sentido a exigência do apuramento”, declarou.

O CDS fez o mesmo. "O CDS mantém a sua doutrina de sempre: respeitamos a separação de poderes, consideramos que à justiça compete o trabalho da justiça e à política compete o trabalho da política", afirmou o vice-presidente do CDS-PP, Nuno Magalhães.


A posição da actual liderança do BE segiu o mesmo caminho. "À política o que é da política, à justiça o que é da justiça", declarou à Lusa a coordenadora do Bloco de Esquerda, à entrada para a 9.ª convenção do Bloco de Esquerda, em Lisboa. 

O ex-coordenador bloquista Francisco Louçã também recusou fazer juízos "precipitados" sobre a detenção do ex-primeiro-ministro, defendendo que o sistema judiciário precisa de mais meios para combater a corrupção ou o branqueamento de capitais.

"Fiquei certamente surpreendido mas não tenho nenhum elemento que me permita neste momento formular uma opinião, é certamente um caso muito grave, sobre o seu fundamento não faço a mínima ideia, terá certamente uma grande influência no país, porque há hoje um estado de incerteza de atitude normal nestas circunstâncias", afirmou Louçã.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Pensei se deveria comentar, mas não resisto ««Apesar de ser um crítico feroz do sr.JS, que se intensificou de out/10 a finais de mar/11,"ex-vi" da então sua acção como PM (é que não lhe perdoo o facto de ter sido a sua actuação a principal causa remota do actual corte da minha pensão líquida em cerca de 400 euros), tal não me impede de reconhecer que, por estarmos num Estado de Direito Democrático, o sr. JS neste momento não está acusado seja do que for, poderá simplesmente estar indiciado de algo que desconhecemos, pelo que, manda a prudência, que sejamos cautelosos na apreciação do que judicialmente nesta hora se está a passar, donde ter de condenar veementemente o aqui transcrito como declarações de Mariana Mortágua e Duarte Marques(também sou de Mação e não me revejo nos modos de DM»»!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:34


3 comentários

De O Fiscal a 03.12.2014 às 22:23

Caro João Carlos Reis...não iria tão longe como você...claro que houve erros políticos desde o 25 de Abril, mas, o nosso problema actual, na minha opinião, tem uma causa política remota...ie...aí por volta do outono de 2001, tínhamos um PM de seu nome António Guterres que, ao aperceber-se da sua responsabilidade no recrutamento de uns tais jovens socialistas(?) trazidos para o PS, aproveitando o resultado de umas eleições autárquicas, resolveu ali "fugir"dizendo ao país que essa sua ideia tinha por base"um tal pântano!"...Pois é, o pântano era " uma tralha "que nos legou, quiçá, sufragada em anos posteriores por outros " actores " de outro(s) campo(s) idiológico(s)...esta minha convicção, tenho-a desenvolvido de diversas formas no meu blog "Portugalamordacado"...aqui só lhe recomendaria que analisasse os dados ao mais diverso nível do estado do país na transicção séculos XX - XXI para o que se seguiu(por ex. no Pordata)...mas...tenho que ser coerente comigo próprio.... ...nos culpados por aquilo a que chegámos,de certa forma, retiro o actual PM Pedro Passos Coelho, já que mais não seja, pela simples razão de que até 5 de Junho 2011 " certos alguéns! " se encarregaram de lhe vedarem o acesso a cargos de topo...

De João Carlos Reis a 05.12.2014 às 01:57

Prezado João,
eu compararei a nossa situação a uma minúscula bola de neve no topo duma montanha e que começou a rolar em 1975... e que não vai parar enquanto, começando pela "arraia miúda" e terminando no Presidente da República, não houver uma mudança de mentalidades que nos torne a todos mais idóneos e afins e, consequentemente, produza governos verdadeiramente empenhados no crescimento económico para verdadeiramente pagarmos a dívida e melhoria das condições de vida de todos os nossos concidadãos... tal e qual se passa nos países cujo nível de vida almejamos...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D