Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




NUNCA O CALAREI... MESMO QUE A VOZ ME DOA!

por O Fiscal, em 09.12.15

http://www.publico.pt/economia/noticia/ministro-das-infraestruturas-diz-que-abolicao-de-portagens-nao-esta-em-cima-da-

Ministro das Infra-estruturas diz que abolição de portagens não está em cima da mesa

Pedro Marques diz que não há planos relativamente a portagens: nem abolir tarifas nas ex-Scut, nem introduzir novas portagens como as que estarão propostas para a A3 e a A4. Hoje mesmo terá uma audiência com o presidente da IP, António Ramalho.

O Bloco de Esquerda e o PCP entregam no Parlamento propostas para acabar com as portagens nas antigas Scut

O ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, afirmou que "não está em cima da mesa do Governo a abolição de portagens", mas promete medidas para favorecer a mobilidade no interior. No dia em que o PCP e o Bloco de Esquerda (BE) entregam no Parlamento propostas para acabar com as portagens nas antigas Scut (vias sem custos para o utilizador), o governante afirmou que "não está em cima da mesa do Governo a abolição de portagens". "Mas a unidade de missão para o interior vai estudar condições para melhorar a mobilidade no interior", acrescentou o governante à margem do 9.º Congresso Nacional da Contratação Pública Electrónica, a decorrer no ISCTE-IUL, em Lisboa. 

Em declarações aos jornalistas, Pedro Marques garantiu que também não está previsto qualquer plano para introduzir portagens na A3 e na A4, uma hipótese que já levou os deputados do PS a pedir uma audiência urgente com o presidente da Infra-estruturas de Portugal, António Ramalho. "A este Governo, à data, não foram apresentadas propostas nesse sentido. Se foram apresentadas ao Governo anterior, só pode responsabilizar os responsáveis do Governo anterior", declarou.

O novo governante socialista sublinhou que não pediu nenhuma proposta à Infra-estruturas de Portugal (antiga Estradas de Portugal) para criar novas portagens. "Vamos trabalhar a partir daqui. Não pedimos nenhum estudo sobre a criação de novas portagens", disse, revelando que ainda hoje se reunirá com a Infra-estruturas de Portugal, liderada por António Ramalho.

O PÚBLICO sabe que António Ramalho colocou o lugar à disposição com a tomada de posse do novo Governo, e de alguma maneira também deixou uma espécie de caderno de encargos para permanecer no lugar. O administrador acredita no actual modelo de gestão da empresa pública que resultou da fusão entre a Estradas de Portugal e a Refer, e só nesse quadro é que aceita permanecer na empresa. O PCP defende a reversão desta fusão, e já apresentou na Assembleia da República um requerimento nesse sentido.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Cá estaremos para ver quem virá a ter razão..." se será o Ministro das Infra-estruturas ou PCP-BE "...sobre a questão das portagens nas autoestradas(não esquecer contudo que António Costa em campanha eleitoral deu alguns sinais públicos de com ele em PM esse pagamento sofreria alterações!?)...por mim, que, sempre defendi o princípio do utilizador - pagador, aliás, nem percebo como é que há ainda autoestradas sem pagamento, deixem-me que diga, mais uma vez( como aliás o tenho feito de há anos/inclusive em opiniões aqui no público), «« o que nunca calarei nem que a voz me doa »», neste sr. Pedro Marques não acredito nem um pouquinho, pois, por experiência própria/pessoal, o considero "um incompetente"desde os seus tempos de SESS do ex-governo Sócrates(coisa que ora c/Ministro mantenho)..!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:31


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D