Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



http://www.publico.pt/politica/noticia/antonio-costa-insiste-na-defesa-do-estado-social-1706939

 

António Costa insiste na defesa do Estado Social

Lider do PS visitou unidade de cuidados continuados que está fechada.

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou-se apostado na defesa do Estado Social ao visitar uma unidade de cuidados continuados em Melgaço, pronta a funcionar desde 2012, mas ainda fechada e que representou um investimento de 1,5 milhões de euros.

 Sublinhando a importância de defender o Serviço Nacional de Saúde (SNS), a Segurança Social e a escola pública, António Costa não deixou de criticar o Governo ao classificar a unidade que visitou como “um péssimo exemplo do abandono a que este Governo votou o sector da saúde”, considerando que o desenvolvimento de unidades de saúde primária e de cuidados continuados são fundamentais para desenvolver o SNS.

“Este espaço construído, equipado, há três anos fechado apesar de pronto para poder ser uma Unidade de Cuidados Continuados (UCC) e as UCC são uma valência fundamental para o desenvolvimento do SNS para podermos prestar melhores cuidados de saúde com menos custos e com maior proximidade às pessoas e às famílias”, lembrou o líder do PS, acrescentando: “É absolutamente inaceitável que um equipamento destes esteja pronto e graças ao desinvestimento que o Governo fez no SNS ele continue a estar fechado e a não poder ser aproveitado pela população quando há tantas carências de camas de cuidados continuados.”

António Costa garantiu que o “compromisso” do PS é “defender o Estado Social”, apontando caso da UCC de Melgaço como exemplo “de quem não sabe fazer contas, porque uma cama de hospital custa bastante mais do que uma cama de um UCC”. E frisou: “Manter este serviço fechado significa estar a desperdiçar dinheiro que podia ser útil e necessários para desenvolvermos o SNS.”

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

António Costa em campanha em Melgaço?, mas, não consta aqui, que AC tenha logo ali deixado mais um dos seus compromissos! eleitorais(i.e.) "abertura desta UCC no dia 5/10"..apetece dizer, não sabemos se e o motivo do seu não funcionamento, mas que à priori é lamentável é, só que também se deve, dizer a AC , deixe-se de "tretas!"pois em Abril/2011 o país não tinha fundos para solver os seus compromissos/ dixit MF TS do governo do seu partido e amigo! Sócrates/ (qb para em 2012 acudir a tudo e p.ex. a esta UCC), mas, também, já que ele fala aqui dum desperdício! de 1,5 milhões euros, num equipamento de facto essencial,mas com existência, que venha a Abrantes inteirar-se dos para cima de 1,5 milhões que os seus camaradas autárquicos ps "deitaram para o lixo!" sem existência visível(?)...!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:31


ARRE GAITA!

por O Fiscal, em 06.09.15

QUANDO A FALTA DE ÉTICA / ISENÇÃO JORNALÍSTICA " BRADA AOS CÉUS"... O QUE APETECE DIZER?

http://www.publico.pt/portugal/noticia/passos-coelho-traz-socrates-para-a-campanha-1706981

Passos Coelho traz Sócrates para a campanha eleitoral

Numa entrevista ao CMTV, este sábado à noite, o líder da coligação PSD/CDS admitiu que os portugueses podem dar ao PS uma maioria estável para governar.

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho afirmou que há candidatos às próximas legislativas com ideias “próximas” com as “defendidas e executadas” por José Sócrates, mas nunca se referiu ao PS ou ao seu actual líder António Costa.

Numa entrevista, este sábado à noite, ao canal CMTV, Passos Coelho começou por dizer que José Sócrates, suspeito de corrupção, não é candidato às próximas legislativas, quando questionado sobre se é possível manter o antigo chefe de Governo fora da campanha. “Há ideias próximas das que ele defendeu e executou, mas são outros candidatos. Podem, às vezes, ser ideias muito parecidas, ou próximas, mas são outros”, disse, acrescentando não ver razão “para trazer o engenheiro Sócrates para a campanha”.

O primeiro-ministro afirmou, no entanto, não ver que a campanha “ganhe qualquer esclarecimento em misturar as coisas”, entre o plano da justiça e o plano político.

Insistindo na necessidade de uma maioria estável, Passos Coelho põe a hipótese de que essa segurança até venha a ser dada ao PS, se essa for a escolha dos eleitores. “Se os portugueses acham que o caminho é melhor do que o nosso, e derem [ao PS] essa maioria inequívoca... Ficaria descansado quanto às condições de governabilidade se isso acontecesse, [mas] ficaria apreensivo com o resultado da acção desse governo”, afirmou.

O candidato a primeiro-ministro pela coligação PSD/CDS quis demarcar bem a diferença entre o programa do PS – que associou sempre a um retrocesso na recuperação da economia – e o proposto pela actual maioria. Quanto a um futuro entendimento, Passos Coelho disse não ser o momento para dizer se vai viabilizar um futuro executivo, em caso de nenhuma das candidaturas conseguir a maioria absoluta. “A minha função, agora, não é persuadir os eleitores de que se perder as eleições e António Costa não tiver os votos que cheguem vou alinhar o apoio a viabilizar esse Governo”. A preocupação, assumiu Passos Coelho, é outra. “É dizer que se acham que a coligação dá mais garantias, então votem na coligação”, concluiu.

De qualquer forma, o primeiro-ministro mostrou abertura em “sentar-se à volta da mesa” com o PS para debater as fontes de financiamento da Segurança Social, apesar de ser bastante crítico da proposta socialista nesta área. “O PS, em quatro anos, arranja um problema sério na Segurança Social”, apontou, referindo-se à proposta da descida da TSU.

Comentários:

 

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Deixem-me que diga ««é verdadeiramente lamentável..o jornal público ou quiçá mais concretamente a jornalista srª Sofia Rodrigues, não conseguem disfarçar a falta de isenção jornalística..porquê?..é simples..o que é que tem a ver o título desta local com o concreto da notícia? quem ler só o título fica convencido de uma tal ideia, quando o que aconteceu foi que na entrevista dada ontem por Pedro Passos Coelho á CMTV, o seu director sr. Octávio Ribeiro colocou ao PM a questão "se entendia que era possível manter Sócrates fora da campanha"ao que respondeu(note-se, em minha opinião, de modo acertado), portanto, não se passou nada como a senhora jornalista começa por escrever no 2º $ da local, mas, mais, concordo com PPC, quem hoje está no topo do PS, infelizmente,é o socratismo travestido»»!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:47


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D