Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




EM PARTE SIM...EM PARTE TALVEZ NÃO!

por O Fiscal, em 12.03.15

http://www.publico.pt/politica/noticia/costa-considera-estar-tudo-esclarecido-sobre-contribuicoes-de-passos-1688890

Costa considera estar “tudo esclarecido” sobre contribuições de Passos

 

António Costa deu entrevista à RTP

Já no final da entrevista, o secretário-geral do PS fez, finalmente, luz sobre a razão por que reagira de forma tão intempestiva às perguntas de uma jornalista que o questionara no meio da rua, vinda “detrás de um carro”, sobre a situação da carreira contributiva do primeiro-ministro. Afinal, António Costa, tem uma “reacção visceral” de cada vez que se vê envolvido perante aquilo que apelidou de “política de casos”.

Nesta quarta-feira, em entrevista à RTP, o socialista fez o esforço de comentar de forma mais reflectida sobre a polémica que tem perseguido Passos Coelho. António Costa deu a entender não ter já dúvidas ou questões a colocar ao chefe do Governo. “Está tudo esclarecido e quanto mais o primeiro-ministro fala, menos esclarece”, disse no Largo do Rato.

Sem dar o assunto por encerrado, o líder do maior partido da oposição optou por frisar que ainda estava para chegar o verdadeiro momento em que o social-democrata seria avaliado pelo seu comportamento. “Acho que o caso está bem entregue, está entregue nas mãos dos portugueses. Tenho a convicção profunda que os portugueses perceberam tudo o que se passou e agirão em conformidade", declarou, numa alusão às próximas eleições legislativas”.

Para António Costa, o juízo final a Passos acontecerá, portanto, daqui a uns meses, com as eleições legislativas. Até porque nenhuma das três entidades com poder para demitir o chefe do Governo – o próprio, a maioria parlamentar ou o Presidente – estavam disponíveis para tal.

A ameaça velada a Passos Coelho surgiu já no final da entrevista que permitiu ao socialista rever as suas posições sobre a política de austeridade, a situação europeia e grega, as suas propostas já anunciadas e até tentar justificar porque não conseguia descolar nas sondagens.

“O PS tem enorme potencial de crescimento”, disse o autarca, depois de garantir que a maioria já tinha atingido máximo possível de intenções de voto:  “A maioria deixou de ser maioria, a direita unida não bate o PS e a direita atingiu o máximo." A esperança nos meses de campanha foi expressa quando afirmou que o seu partido estava “a fazer o nosso [PS] caminho”. E colocou alguns marcos nesse percurso: apontou para o final do mês a apresentação do cenário macro-económico que havia solicitado a um grupo de 11 economistas e o dia 6 de Junho para a revelação do programa eleitoral.

Nele estará a política de emprego “dirigida aos jovens” por forma a facilitar a sua “integração no tecido empresarial”. E medidas para enfrentar o desemprego de longa duração para a geração mais velha. Ou a redução da taxa do IVA na restauração para a taxa intermédia de 13%, além do aproveitamento dos vistos Gold para financiar um fundo de capitalização de empresas. O programa de reabilitação urbana voltou a ser referido, mas com a ressalva de que seriam as PME de construção as beneficiárias. “A construção não tem de ser só grandes infra-estruturas”, disse.

O socialista abordou também a questão do défice para defender que a sua redução devia ser ajustada ao ciclo económico: "Quando crescemos menos, cortamos menos, quando crescermos mais, poupamos mais."

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Concordo com António Costa "de facto está (quase!) tudo esclarecido sobre as contribuições de Passos"o cidadão PPC(aí há 20 anos atrás/á volta dos trinta e poucos de idade)cometeu "uma bava!"de certo modo indesculpável(ou quiçá até certo ponto desculpável?/era então ainda um jovem quiçá deslumbrado com os tempos de então "anos do boom!"), atrasos de obrigações fiscais e não pagamento á ss como trabalhador independente, só que, muitos outros passaram então por algo idêntico ou parecido(como terá sido o caso do sr.AC cfr. últimas notícias),mas,para mim,o mais lamentável foi a actuação dos responsáveis de então da SS(note-se governo PS /com destaque para. Vieira da Silva, Pedro Marques e Edmundo Martinho),que na sua incompetência não zelaram pela sua cobrança,daí esta agora posição de AC(?)!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:08


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D