Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



EM QUESTÃO DE MANIFESTOS Á VOLTA DA NOSSA DÍVIDA PÚBLICA AFIGURA-SE-ME QUE NÃO IREMOS FICAR POR AQUI PELO MENOS NAS PRÓXIMAS SEMANAS....

 

http://www.publico.pt/economia/noticia/manifesto-da-divida-recebe-apoio-de-74-economistas-estrangeiros-1628981#comments

 

 

Manifesto da dívida recebe apoio de 74 economistas estrangeiros

 

 

Manifesto dos 74 transpôs a fronteira e já recebeu o apoio de economistas de 20 nacionalidades, dos EUA à Alemanha.

 

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Julgo que está a ser extrapolada demais a importância quer do chamado Manifesto(nacional) dos 70 quer do ora vindo a público Manifesto(internacional) dos 74..porque..embora a matéria que lhe está subjacente seja internamente de tal modo importante que obrigaria a uma discusão politicamente " desapaixonada " ela está afinal a ser aproveitada por grupos talvez um tanto de interesses duvidosos diria para o "bate-papo do passa culpas" de uns de um lado para uns do outro e vice-versa..o que é perfeitamente visível estar a causar por cá completa desorientação no espírito da opinião pública..e como se isso já não bastasse então atiramos-lhes com o reforço externo de outras certas personalidades ditas de peso de 20 nacionalidades ou seja de uma média de 3,7 por país..enfim interesses obscuros(?)!!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:32


ELE HÁ CADA....ENIGMA !

por O Fiscal, em 18.03.14

ENIGMAS?....HÁ QUEM NELES NÃO ACREDITE MAS QUE DE VEZ EM QUANDO ELES APARECEM QUANDO MENOS ESPERAMOS....AH! LÁ ISSO É VERDADE... OU SERÁ MERA SUPOSIÇÃO?....

 

SERÁ OU NÃO O CASO AQUI Á VOLTA DOS " ESTALEIROS NACIONAIS DE VIANA DO CASTELO "?....

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/descalabro-dos-estaleiros-de-viana-comecou-em-2008-acusam-sindicalistas-1628813

 

 

“Descalabro dos estaleiros de Viana começou em 2008”, acusam sindicalistas

Acordo social com Ministério da Defesa foi considerado "racional e humano".

“O descalabro dos estaleiros de Viana começou em 2008/2009”, disse esta terça-feira, perante a comissão parlamentar de inquérito aos Estaleiros Nacionais de Viana do Castelo (ENVC), o sindicalista Branco Viana.

O dirigente da União de Sindicatos de Viana do Castelo (USVC), membro da direcção nacional da CGTP e trabalhador dos estaleiros situa naquela data o início dos problemas. “A partir de então há a estratégia de que não interessa viabilizar a empresa”, acusou.

O sindicalista foi particularmente duro com a anterior administração liderada por Veiga Anjos, ainda no tempo do Governo de José Sócrates. “Anunciou no melhor hotel da cidade o despedimento de 420 trabalhadores, não houve nenhuma intenção de discutir qualquer coisa”, criticou, referindo-se ao projecto de refundação de 2011. Em relação à actual situação, a subconcessão à West Sea, empresa do grupo Martifer, o dirigente sindical foi pragmático: “Não está nada garantido agora, como não estava na altura”, disse referindo-se à situação de há três anos.

“Esta situação é um mal menor, não há garantias. Mas há o compromisso de que a construção naval em Viana do Castelo vai continuar num cenário diferente”, adiantou.  “Nos últimos anos foi um descalabro total, estou convencido que houve um desinteresse total para que a empresa não tivesse viabilidade”, insistiu. Como prova deste facto, considerou que o Governo não defendeu os interesses dos ENVC junto da Comissão Europeia, depois de Bruxelas ter acusado o Estado português de ajudas ilegais, no montante de 180 milhões de euros. “Não se agarrou o touro pelos cornos”, afirmou Branco Viana.

“Se houvesse vontade política tinham-se encontrado outras vias, mas desde o Governo do PS ao do PSD/CDS não houve a intenção de viabilizar os estaleiros”, continuou.

Sobre o acordo social, apresentado pelo executivo e pelo ministro da tutela, José Pedro Aguiar Branco, como um sucesso, o sindicalista da CGTP classificou-o como “racional e humano”, contrapondo-o à situação vivida com o anterior executivo. “Não estamos de acordo com a solução, mas tínhamos de encontrar a melhor saída entre o encerramento e as rescisões amigáveis, voluntárias”, ponderou. Uma opção tomada por 598 dos 609 trabalhadores dos ENVC: “Que iriamos fazer? Entre ter um pássaro na mão e dois a voar?”

Recordou que no diálogo com o Ministério da Defesa foram consideradas as majorações propostas pela parte sindical. “Foi para além das nossas expectativas”, admitiu. No entanto, considerou que a solução encontrada pode ser classificada como “despedimento colectivo encapotado”.

Quanto ao futuro, o dirigente sindical recorda o teor do encontro que a USVC manteve com Carlos Martins, presidente da Martifer. “Não há nenhum contrato assinado, há a palavra de homens”, justificando: “Disse que não ia olhar para as idades dos que iam ser contratados e, destes dez, sete têm mais de 50 anos.”

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Há aqui algo de estranho..ver agora o sindicalista sr. Branco Viana da União de Sindicatos de Viana do Castelo/membro da Direcção Nacional da CGTP/trabalhador dos Estaleiros Nacionais de VC dizer o que aqui está resumido na sua passagem em audição hoje na AR á Comissão Parlamentar de Inquérito aos ENVC..causa-me alguma perplexidade..é que procuro memorizar ao que assisti ainda não há muito tempo atrás quanto a posições assumidas quer via Comissão de Trabalhadores quer via sindical(com líder CGTP sr. Arménio Carlos á frente) face á problemática que se vinha vivendo nos ENVC..e digo-vos mesmo "a bota não bate com a perdigota"..é que nunca vi então alusões a culpabilidades desde 2008(ex-governo Sócrates) mas sim acusações ao actual governo e seu MD/sr. Aguiar Branco que ora até se elogia..!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:43


E AINDA SOBRE O MANIFESTO 70!

por O Fiscal, em 17.03.14

CONVENHAMOS QUE DE VEZ EM QUANDO É IMPERIOSO RECONHECER O ÓBVIO...VEM ISTO A PROPÓSITO DA POSIÇÃO DO SR. JOSÉ SÓCRATES SOBRE O MANIFESTO CONHECIDO DOS " 70 "....

ORA VEJA-SE:

http://www.noticiasaominuto.com/politica/189513/teria-assinado-o-manifesto-seguramente

 

Sócrates "Teria assinado o manifesto, seguramente"

 

O antigo primeiro-ministro socialista, José Sócrates, que falava ontem à noite no habitual espaço de opinião que protagoniza na antena da RTP1, declarou ser totalmente a favor do manifesto que defende a reestruturação da dívida pública, aproveitando, nesta senda e mais uma vez, para lançar duras farpas ao Executivo de Pedro Passos Coelho.

 

Teria assinado o manifesto, seguramente

 

“Teria assinado o manifesto, seguramente, porque estou de acordo com ele”. A afirmação pertence ao ex-chefe de Governo socialista, José Sócrates, que ontem comentava a atualidade política, na antena da estação pública.

No entender do antigo primeiro-ministro, o documento assinado por 70 reconhecidas personalidades de várias franjas da sociedade portuguesa, é “moderado”, sendo que, quem o subscreveu é “merecedor de respeito”, enfatizou o socialista.

Aliás, para Sócrates, o manifesto que tanta controvérsia tem vindo a gerar, com várias trocas de galhardetes à mistura entre responsáveis pelo Executivo e os seus signatários, torna transparente “a fantasia e irrealismo em que vive o Governo”.

“Tudo está a correr a mal: a dívida aumentou, o desemprego aumentou e estamos há três anos em recessão”, salientou o socialista, invertendo e desconstruindo assim a onda de otimismo que vem sendo enaltecida pelo Executivo em funções.

 

E ENTÃO...ESTARÃO A PENSAR...ONDE ESTÁ O TAL " ÓBVIO "?....ORA BEM...QUEM FOI AFINAL A PRIMEIRA PESSOA A DEFENDER QUE " A DÍVIDA NÃO É PARA PAGAR "?...JÁ NÃO SE LEMBRAM?...CLARO FOI SÓCRATES...DAÍ A SUA AQUI COERÊNCIA(QUE POR VEZES TEM)QUANTO Á SUA SUBSCRIÇÃO DO DITO MANIFESTO / QUE/ NOTE-SE/ ALIÁS ATÉ CONSIDERA " MODERADO "...SÓ QUE DEPOIS ESTRAGOU ESSA COERÊNCIA COM AS PALAVRAS QUE PROFERIU SEGUNDO A PARTE FINAL SUPRA(SUBLINHADO A CORES POR MIM) DESIGNADAMENTE NO SEU "DIRIA AINDA ESTADO DE SONO" (PARTE A AZUL)....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:49

SEM MAIS...DEIXO AQUI...O QUE PENSO...SOBRE COMO CHEGÁMOS E ESTAMOS NESTE 40º ANIVERSÁRIO DO 25 DE ABRIL QUE SE APROXIMA A PASSOS LARGOS......

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/militares-de-abril-so-vao-as-comemoracoes-da-revolucao-se-puderem-intervir-1628479#/0

 

 

Militares de Abril só vão às comemorações da revolução se puderem intervir

 

 

Vasco Lourenço acusa o Governo de tratar “abaixo de cão” as Forças Armadas. Só não faz um segundo 25 de Abril, diz, porque “não há condições – vivemos, formalmente, em democracia”.

Os “capitães” de Abril só aceitam participar nas comemorações oficiais do 40.º aniversário do 25 de Abril, na Assembleia da República, se lhes for dado o direito a exprimir o descontentamento que sentem em relação à situação que o país vive.

“Não gostamos de ser a jarrinha na mesa ou a cereja em cima do bolo”. Foi desta forma que o presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, comentou o convite que lhe foi endereçado pela presidente da Assembleia, Assunção Esteves, para participar nas cerimónias destinadas a assinalar o dia da liberdade.

“Só [há] uma situação em que talvez consiga convencer os meus camaradas a irmos à Assembleia da República, [que] é se formos lá, de pleno direito, e usarmos da palavra na cerimónia”, sublinhou.

Vasco Lourenço, Otelo Saraiva de Carvalho e Martins Guerreiro foram três dos oficiais envolvidos no movimento que derrubou o antigo regime. Neste sábado à noite, a convite da câmara de Loulé, juntaram-se no cine-teatro daquela localidade algarvia para recordar o passado e lançar um olhar critico sobre o presente.

Os três protagonistas reafirmaram as divergências que os separaram há 40 anos, em relação ao rumo que o país deveria tomar, mas disseram estar unidos na contestação à política actual. “Não foi para isto que se fez o 25 de Abril”, afirmou Martins Guerreiro. Acrescentou Vasco Lourenço: “Os que estão no poder agem como se fossem os que foram derrotados no 25 de Abril”.

Por seu lado, Otelo Saraiva de Carvalho defende a democracia directa, popular, embora admita que a força do capital lhe trocou as voltas aos sonhos: “em 1974, nós podíamos ter criado aqui, instaurado um novo regime político”. Porém , reconheceu, “os Estados Unidos não iriam permitir a revolução socialista”.

Do debate, moderado pelo reitor da Universidade do Algarve, António Branco, saíram duas conclusões: “não foi para isto que fizemos o 25 de Abril e, se o povo não aguenta, faça a revolução”. Em relação à manifestação levada a cabo, em Lisboa, pelos militares, Vasco Lourenço, solidário com os camaradas de armas, disparou contra o Governo. “Os militares estão a ser tratados abaixo de cão, por este Governo, de forma absolutamente miserável –  estão a destruir as Forças Armadas”.

Por fim, o oficial que reclama para si o título de ter sido o “maior conspirador” na organização do movimento que levou à queda da ditadura, declarou aos jornalistas: “se sentisse que havia condições já estava a preparar outro 25 de Abril”. Uma das razões porque ainda o não fez, disse, é porque “estamos, formalmente, em democracia – agora não estraguem por completo a democracia, e eles estão de facto a estragar por completo a democracia”.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

É triste..muito triste..o modo como está a ser encarado este 40º aniversário do 25 de Abril..na verdade para uma geração actual á volta dos 50 anos de idade o espírito daquela data pouco ou nada diz mas para as anteriores hoje acima de pelo menos á volta dos 60 tal data diz muito..é certo que a predominância no poder aos mais variados níveis cabe essencialmente áquela geração e isso não tem mesmo nada de surprendente mas diga-se em abono da verdade que tanto é lamentável a atitude de uma como de outra ao nível das "suas cúpulas de representação"..é que não dá para entender o comportamento quer dos responsáveis políticos actuais quer dos dignos representantes ainda vivos daquele "célebre movimento dos capitães" neste próximo aniversário mais parecendo esquecidos do que foi a "Abrilada"..!!!

AH!...JÁ AGORA..O SUBLINHADO A CORES É DA MINHA AUTORIA....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:13


E SE FALÁSSEMOS DE " NOVO RUMO "?

por O Fiscal, em 15.03.14

SEGUNDO DIVERSAS NOTÍCIAS DE HOJE O PS ENCARARÁ VIR A EXIGIR AO PR APÓS 25 DE MAIO PRÓXIMO A CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES LEGISLATIVAS ANTECIPADAS(ISTO NA CONVICÇÃO DE NESSE DIA VIR A SER O VENCEDOR DO ACTO ELEITORAL NAS EUROPEIAS/ALEGANDO QUE A MAIORIA PSD-CDS JÁ NÃO TERIA ESSA CORRESPONDÊNCIA NO TERRENO FACE A PS+PCP+BE+VERDES)....NUM ACTO POLÍTICO SOCIALISTA " O CHAMADO NOVO RUMO " OCORRIDO HOJE AO FINAL DA TARDE O SEU SECRETÁRIO GERAL SR. ANTÓNIO JOSÉ SEGURO(TAMBÉM CONHECIDO PELO " TÓ ZÉ ") TERÁ AFIRMADO MAIS OU MENOS ISTO " EM 25 DE MAIO PODEMOS TIRÁ-LOS DE LÁ "....ORA PARA QUEM ANDOU DURANTE QUASE DUAS DÉCADAS ENVOLVIDO NAS LIDES SOCIALISTAS E SE DESILUDIU HÁ UNS BONS ANOS NÃO POSSO DEIXAR DE LANÇAR UM ALERTA ««« SE A MAIORIA DOS PORTUGUESES JÁ TIVEREM ESQUECIDO O QUE LHES ACONTECEU(VG) NESTES ÚLTIMOS 6 ANOS/ESTÁ A ACONTECER/ E MAIS CONCRECTAMENTE DESDE 2011/E QUEM O PROVOCOU»»» ENTÃO SIM DEVEM DAR O SEU CONTRIBUTO PARA TAL ESTRATÉGIA...CONTUDO NÃO POSSO DEIXAR DE TRAZER AQUI UMA SIMPLES REFEXÃO....

" OS PORTUGUESES EM GERAL ESTÃO HOJE MELHORES OU PIORES QUE ANTES DE 2011? É EVIDENTE QUE ESTÃO PIORES(HÁ/ MUITO MAIS DESEMPREGADOS/QUIÇÁ MUITOS COM MAIS E MUITAS DIFICULDADES DE DIVERSA ORDEM/PRATICAMENTE TODOS COM RENDIMENTOS DIMINUIDOS,ETC)....

...PODEM PORVENTURA ASPIRAR NO MÉDIO PRAZO VOLTAR ÁS CONDIÇÕES DO ANTE-2011? É EVIDENTE QUE É(QUASE)IMPOSSÍVEL....MAS HÁ ALGO INDESMENTÍVEL...APESAR DE TUDO O QUE ESTAMOS VIVENDO ACTUALMENTE NÃO SE TEM VISTO A ACTUAL MF SRª MARIA LUIS ALBUQUERQUE(E TAL NÃO É POSTO EM CAUSA POR NINGUÉM) DIZER OU DAR A ENTENDER QUE ESTAMOS NUM PATAMAR DE JUROS PERIGOSO PARA NECESSIDADE DE RESGATE OU ENTÃO QUE A CURTO OU MESMO MÉDIO PRAZO PODERÁ NÃO TER DINHEIRO PARA O PAGAMENTO DE SALÁRIOS/PENSÕES...É QUE... ...LEMBREMO-NOS FOI ISSO QUE DISSE O NA ALTURA MF SR. TEIXEIRA DOS SANTOS(AINDA SE RECORDAM DO EX-GOVERNO PS/ SÓCRATES?) RESPECTIVAMENTE EM OUTUBRO DE 2010 E INÍCIOS DE ABRIL DE 2011 "....

SENDO ASSIM POR MIM NUNCA DAREI NOS TEMPOS MAIS PRÓXIMOS O MEU VOTO AO PS..

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13


SERÁ MESMO ASSIM...MELHOR OU PIOR ?

por O Fiscal, em 15.03.14

MUITO SE TEM FALADO...FALA...E FALARÁ...SOBRE A TEMÁTICA...DE QUEM TEM SIDO MAIS ATINGIDO PELA AUSTERIDADE IMPOSTA(?) PELO GOVERNO DE PEDRO PASSOS COELHO...DE VEZ EM QUANDO LÁ APARECEM UMAS ANÁLISES A TAL TEMÁTICA A QUE RESPONDEM UNS E OUTROS CONSOANTE OS SEUS PRINCÍPIOS TANTAS VEZES MAIS DEMAGÓGICOS OU INTERESSEIROS DO QUE DESINTERESSADOS...        

 

  É LAMENTÁVELMENTE MAIS UMA VEZ AQUI O CASO:

 

http://www.publico.pt/economia/noticia/austeridade-retirou-10-do-rendimento-aos-mais-ricos-e-5-aos-pobres-1628236

 

Austeridade retirou 10% do rendimento aos mais ricos e 5% aos pobres

 

 

FMI calcula que Portugal foi um dos países onde as medidas de consolidação orçamental foram mais progressivas. O impacto do aumento do desemprego na desigualdade não é porém considerado.

Portugal foi um dos países que aplicou medidas de austeridade com um carácter mais progressivo, ou seja, penalizando mais as famílias com maiores rendimentos do que as famílias que menos ganham, conclui o Fundo Monetário Internacional (FMI) numa análise realizada ao período entre 2008 e 2012.

Num relatório intitulado Fiscal Policy and Income Inequality (“Política orçamental e desigualdade de rendimentos), o Fundo analisa o impacto da política de consolidação orçamental que foi imposta em diversos países europeus nos últimos anos e destaca o caso português – onde o FMI teve influência directa na definição das políticas - como um dos que mais levou em linha de conta os efeitos da austeridade na distribuição do rendimento.

Segundo as contas da entidade sedeada em Washington, as medidas implementadas pelas autoridades portuguesas de 2008 a 2012 – e que incluem cortes nos salários dos funcionários públicos, cortes nas pensões, diminuição dos benefícios sociais e aumento do IVA – conduziram, em média, a uma redução do rendimento disponível das famílias de 6,3%. No entanto, para os 20% mais pobres, essa redução foi menor, ligeiramente acima dos 5%. Para os 20% mais ricos, o corte atingiu os 10%.

Na Grécia, o corte do rendimento disponível foi em termos globais maior que em Portugal, chegando aos 11,6%. Os 10% mais pobres sofreram reduções próximas de 15% por causa das medidas de consolidação orçamental. No entanto, os mais ricos perderam cerca de 17,5% do seu rendimento. Em Espanha, onde o impacto global foi de 4,3%, a diferença entre os 10% mas pobres e os 10% mais ricos é que os primeiros perderam cerca de 6% e os mais ricos 7,5%. Na Irlanda, embora o FMI não apresente resultados próprios, cita um estudo que afirma que, entre 2009 e 2012, os 10% mais pobres perderam 5% do seu rendimento disponível, enquanto os 10% mais ricos perderam 13%.

No relatório, o Fundo explica que “em Portugal, a incidência progressiva geral deveu-se a cortes progressivos nos salários da função pública e pensões, que compensaram os cortes regressivos nas transferências sociais sujeitas a condição de recursos, que afectaram negativamente as famílias no decil de rendimento inferior”.

Isto significa que o principal contributo para que as medidas de austeridade afectassem proporcionalmente os mais ricos veio dos cortes de salários e de pensões, ao passo que a limitação dos benefícios sociais prejudicou mais os mais pobres. Não são apresentados cálculos para 2013, ano em que foi realizado um aumento de IRS. 

Redução da desigualdade?
O Fundo chega à conclusão de que o nível de desigualdade em Portugal – medido pelo índice de Gini – diminuiu no período entre 2008 e 2012, especialmente devido ao efeito progressivo das medidas de consolidação orçamental. No entanto, é preciso levar em conta que foi antes das medidas de austeridade começarem a ser tomadas que este indicador mais caiu. Nos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística sobre esta matéria, regista-se que, entre 2008 e 2009, houve uma redução acentuada do índice de Gini de 35,4 para 33,7 pontos (menos desigualdade).

Nessa altura, ainda não eram aplicadas medidas de austeridade em Portugal. Em 2010, ano em que o Governo de José Sócrates se viu forçado a aplicar medidas de contenção orçamental, como o agravamento de impostos ou o corte dos salários, o indicador de desigualdade subiu para 34,2 pontos. Em 2011, com a troika já em Portugal, registou-se uma nova subida para 34,5 pontos. Para 2012, ainda não há dados publicados.

Apesar destes números, o Fundo estima neste estudo que as medidas de consolidação orçamental contribuíram para reduzir a desigualdade em Portugal. Faz isso ao mesmo tempo que reconhece que “os efeitos das medidas orçamentais no rendimento de mercado (por exemplo, através dos efeitos na actividade económica e no emprego) não são capturados” pelos cálculos.

Medidas como os cortes salariais, mesmo que incidindo mais sobre os vencimentos elevados, podem prejudicar o nível de actividade económica e lançar mais pessoas no desemprego, retirando rendimentos a uma parte importante da população. Em Portugal, entre 2008 e 2012, o desemprego subiu de 8,5% para 15,9%, afectando mais cerca de 400 mil pessoas.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

De há uns 4-5 anos para cá..tem sido muito raro haver o mínimo de acordo sobre certos estudos mesmo que eles venham do exterior..por exemplo..a propósito desta análise..estou mesmo á espera..vir a assistir a reacções contraditórias sobre o que está aqui subjacente..uns dirão que o que está aqui em causa é uma encomenda do governo para desmistificar o brutal ataque aos mais desfavorecidos..outros dirão o contrário..ora deixem-me que diga pela minha experiência pessoal..claro há desde há uns anos um desnível decrescente de quebra de rendimento entre os + ricos / - ricos /- pobres e +pobres..mas é mais grave que o aqui enunciado..eu reformei-me em 2002 com pensão líquida de +/- 2 200E hoje estou com - 400E..minha esposa em 2010 PL 800 e tal hoje -40a50Ee ainda abaixo?..será mesmo 10 p 5? !!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:07


ADOPÇÃO...CO-ADOPÇÃO... NA AR!

por O Fiscal, em 14.03.14

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/coadopcao-chumbada-por-cinco-votos-1628292#/0

 

 

Projecto do PS sobre co-adopção chumbado por escassos votos

 

 

Diploma foi rejeitado na especialidade e, por isso, nem sequer foi realizada votação final global.

 

No CDS todos os deputados seguiram a "firme orientação" de voto contra.

O projecto do PS que propõe a co-adopção entre casais do mesmo sexo foi chumbado na especialidade nesta sexta-feira por cinco votos em parte do articulado e por quatro votos noutra parte. Como não houve nenhum artigo aprovado na especialidade, não houve votação final global.

No primeiro conjunto de artigos colocados à votação de 223 deputados registados, o projecto obteve 111 votos contra e 107 a favor, o que corresponde a uma diferença de quatro votos, e cinco abstenções. No segundo conjunto de artigos votados, um deputado do PSD (João Prata) mudou o seu sentido de voto de abstenção para voto contra. 

Entre as abstenções da primeira votação estiveram três deputados do PSD (João Prata, Conceição Caldeira e Maria José Castelo Branco) e dois do PS (João Portugal e Isabel Oneto). Os parlamentares sociais-democratas indicados pela JSD anunciaram declaração de voto.

Na bancada do CDS, 23 deputados (João Rebelo foi o único ausente) votaram contra, em resultado da "orientação firme" de voto dada pela direcção da bancada.

No PSD votaram a favor 15 deputados: Teresa Leal Coelho, Miguel Frasquilho, Luís Menezes, Francisca Almeida, Nuno Encarnação, Mónica Ferro, Cristóvão Norte, Ana Oliveira, Ângela Guerra, Paula Cardoso, Joana Barata Lopes, Pedro Pinto, Sérgio Azevedo, Odete Silva e Gabriel Goucha. Conceição Caldeira e Maria José Castelo Branco mudaram o seu sentido de voto desde a votação na generalidade, em Maio do ano passado, passando de favorável para a abstenção.

Já no PS, nenhum deputado votou contra, registaram-se duas abstenções (Isabel Oneto e João Portugal). Nas bancadas mais à esquerda, PCP, BE e PEV votaram a favor, embora entre os comunistas faltasse um deputado que está em viagem no estrangeiro. 

O projecto de lei socialista propõe a co-adopção de crianças por casais do mesmo sexo, casados ou em união de facto. A iniciativa pretende atende a casos de crianças que já vivem nestas famílias, mas que perdem o seu pai ou a mãe biológica, e correm o risco de ser retiradas ao cônjuge sobrevivente por não com ele qualquer vínculo jurídico.  

Um caminho de avanços e recuos
O projecto de lei do PS, que tem como primeiros subscritores os deputados Isabel Moreira e Pedro Delgado Alves, foi aprovado na generalidade em plenário em Maio do ano passado, numa contagem à tangente, também por cinco votos, com 99 a favor, 94 contra e nove abstenções. Dos 230 deputados que compõem o hemiciclo, votaram 202, tendo alguns parlamentares abandonado o hemiciclo antes do início da votação. Na altura, tanto o PSD como o CDS deram liberdade de voto e houve 16 deputados sociais-democratas que votaram a favor. No mesmo dia, o Parlamento discutiu ainda dois projectos do BE e um do PEV sobre adopção plena por casais homossexuais, mas todos acabaram reprovados.

Depois disso, o diploma foi discutido na especialidade mas a votação final no plenário foi sendo adiada sucessivamente. Em Julho, o PSD conseguiu que a votação final passasse para o início do Outono, depois das eleições autárquicas.

Entretanto, em Outubro, o deputado social-democrata e líder da JSD, Hugo Soares, que é declaradamente contra a co-adopção por casais homossexuais, lançou a ideia de uma proposta de referendo, uma decisão que motivou grande discussão no seio da sua bancada. Hugo Soares justificou que o assunto precisava de uma discussão mais alargada, defendendo que se deveria discutir a questão da co-adopção em conjunto com a da adopção plena por casais homossexuais.

O projecto de resolução sobre o referendo à co-adopção e adopção por casais do mesmo sexo foi aprovado em plenário em meados de Janeiro. Como manda a lei, o diploma seguiu para o Presidente da República, que o enviou para o Tribunal Constitucional, pedindo a fiscalização preventiva da constitucionalidade e da legalidade da proposta.

Os juízes do Palácio Ratton consideraram a proposta inconstitucional por acumular no mesmo referendo as duas perguntas, o que "dificulta a perfeita consciencialização, por parte dos cidadãos eleitores, da diversidade de valorações que podem suscitar, sendo susceptível de conduzir à contaminação recíproca das respostas". Daí que o Tribunal Constitucional tenha considerado que não estava garantida uma "pronúncia referendária genuína e esclarecida".

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Mas o que dizer sobre esta matéria " adopção / co-adopção por casais do mesmo sexo "?...cada um de nós terá a sua opinião quer sobre a mesma quer sobre o que se tem vindo a passar á volta de tal assunto na AR desde pelo menos Maio de 2013...mas...deixem-me que diga...o que mais lamento é que não tenhamos(se é que alguma vez tivemos no pós 25/4) um quadro político(da esquerda á direita - da direita á esquerda) digamos á altura dos pergaminhos democráticos que o nosso país tanto merecia(após um obscurantismo de décadas)...é que tudo o que tem girado em redor destas discusões(desde o início/casamento e por aí fora) parece-me que exigiria a qualquer um e verdadeiro democrata como posição prévia e primordial nada menos que a exigência de "audição societária de sua transformação"...!!!!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:38


REFLEXÃO!

por O Fiscal, em 12.03.14

HOJE...TENHO VONTADE DE REFLETIR...SOBRE ALGUNS " FACTOS DA ORDEM DO DIA "...ENTÃO É ASSIM:

 

1- A ASSOCIAÇÃO SINDICAL DE JUÍZES FOI Á PR SENSIBILIZAR O SR. CAVACO SILVA PARA A URGENTE      NECESSIDADE DE..VEJAM SÓ «« BLINDAR OS SALÁRIOS DOS JUÍZES »»;

2- O PR PROMULGA DIPLOMAS(VG OE/13-ORECT/13)CONTENDO MEDIDAS BASTANTE IMPOPULARES

     MAS A OPOSIÇÃO COM PS Á FRENTE LOGO SE APRESSA ««ALTERNATIVA QUAL QUÊ!...AH! VAMOS          É JÁ PARA O TC»»;

 

           

3- UM GRUPO DE CERTAS PERSONALIDADES(?) ESCOLHEM(qb/ NÃO POR MERO ACASO)ESTA ALTURA

     PARA TRAZEREM A LUME MANIFESTO APOLOGISTA "DIRIA/DA REESTRUTURAÇÃO DA N/DÍVIDA

     PÚBLICA";

4- CERTOS " GURUS " DA NOSSA PRAÇA POLÍTICA PARECENDO ESQUECIDOS DA AINDA NOSSA                     VIVÊNCIA EM DEMOCRACIA OUSAM APONTAR ESTE GOVERNO COMO "DITADURA" COLANDO-SE            MESMO A MANIFESTAÇÕES DE FORÇAS DE SEGURANÇA/MILITARES INCITANDO GOVERNO A CEDER       A SUAS EXIGÊNCIAS SALARIAIS PARA EVITAR O PIOR(?);

TUDO ISTO LEVA-ME A ESTAS DÚVIDAS:     a) SERÁ QUE O PM CONTINUARÁ A RESISTIR A TODAS AS PRESSÕES(SEM CEDER A/ARMAS/JUÍZES)

          NÃO ABRINDO PRECEDENTES FACE AO QUE TEM VINDO A SER PEDIDO A TODOS NÓS?

     b) MAS SERÁ QUE QUEM(DA ESQUERDA Á DIREITA) MAIS CULPAS TEM NA SITUAÇÃO A QUE FÔMOS  

          CONDUZIDOS " NÃO SE ENXERGA MESMO "?

     c) SERÁ QUE DESTA VEZ AQUI " OS LOBBYS " NÃO VENCERÃO?

   

     AFINAL...ESTEJAMOS ATENTOS....

                  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DO   EM DEMOCRACIA OUSAM...POR UM LADO COLAR O GOVERNO A UMA DITADURA...POR OUTRO LA

     COLAM-SE ELES MESMOS A MANIFESTAÇÕES DE FORÇAS DE SEGURANÇA/MILITARES INCITANDO

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:10


ELE HÁ MANIFESTOS E MANIFESTOS!

por O Fiscal, em 11.03.14

HOJE TIVEMOS CONHECIMENTO PRÉVIO QUE AMANHÃ VAI SER APRESENTADO PUBLICAMENTE UM TAL "MANIFESTO!" DE CERTOS " PESOS PESADOS! " DA NOSSA PRAÇA.....ORA VEJA-SE:

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/notaveis-da-esquerda-e-da-direita-apelam-a-reestruturacao-da-divida-portuguesa-1627809

 

Notáveis da esquerda e da direita apelam à reestruturação da dívida portuguesa

APETECE DIZER O QUÊ?

INDEPENDENTEMENTE DO QUE SE POSSA PENSAR SOBRE O NÍVEL DA NOSSA DÍVIDA PÚBLICA...MESMO SOBRE SUA NECESSIDADE DE " REESTRUTURAÇÃO(VG OS NOTÁVEIS SUPRA) / MUTUALIZAÇÃO(VG AJ SEGURO / GRITAR NÃO PAGAMOS(VG SOARES) / OU PAGAMOS TUDO(VG PPC) " O QUE ME PARECE É QUE O MOMENTO QUE ATRAVESSAMOS ACONSELHARIA QUIÇÁ ALGUMA CAUTELA EM TAL ABORDAGEM...É QUE ESTAMOS A DOIS MESES E UMA SEMANA DE NOS PODERMOS LIVRAR  DA " DITADURA(!) DA TROIKA "  (EMBORA POSSAMOS CONTINUAR A SER ACOMPANHADOS(!) POR VIGILANTES TROIKISTAS) DONDE  NESTE MOMENTO TODO E QUALQUER SINAL HESITANTE PODERÁ POR EM CAUSA MUITA COISA...DAÍ QUE POSSAMOS INTERROGARMO-NOS DO PORQUÊ E COM QUE SENTIDO APARECEM AGORA ESTES " MANIFESTANTES "?...PARA MIM...SÓ ME PARECE QUE ANDA POR AÍ MUITA E CERTA " GENTINHA! " QUE POR " MEROS ÓDIOS PESSOAIS " ESTÁ-SE BORRIFANDO PARA OS INTERESSES DO PAÍS POIS NÃO SE ENTENDE POR QUE ESCOLHERAM ESTA ALTURA E NÃO HÁ UNS TEMPOS LÁ PARA MUITO PARA TRÁS OU PARA A FRENTE OU ENTENDER-SE-Á?

 

 ADENDA:

AINDA A PROPÓSITO DESTE MANIFESTO...EIS AQUI...A OPINIÃO DE ALGUÉM(DIRIA ALGO ABALIZADA) QUE HOJE VEIO A PÚBLICO...E QUE SUBSCREVO:

http://www.noticiasaominuto.com/pais/187824/o-favor-ao-pais-que-gomes-ferreira-pede-a-uma-geracao-errada#.UyIwg4WsC0k

 

Reação O favor ao país que Gomes Ferreira pede 'a uma geração errada'

 

O jornalista e subdiretor de Informação da SIC, José Gomes Ferreira, resolveu endereçar uma carta aberta aos subscritores do manifesto que lança um repto para a reestruturação da dívida do país. O tom? Dificilmente poderia ser mais crítico, e é justamente nessa mesma moeda que, grosso modo, as redes sociais estão a reagir às palavras que Gomes Ferreira dirige às 70 personalidades em apreço.

 

O favor ao país que Gomes Ferreira pede 'a uma geração errada'

 

“Caros João Cravinho, Manuela Ferreira Leite, Bagão Félix, Ferro Rodrigues, Sevinate Pinto, Vitor Martins e demais subscritores do manifesto pela reestruturação da divida publica: Que tal deixarem para a geração seguinte a tarefa de resolver os problemas gravíssimos que vocês lhes deixaram? É que as vossas propostas já não resolvem, só agravam os problemas. Que tal darem lugar aos mais novos?” (CONTINUA E É BEM EXTENSA ESTA CARTA/QUE TAL LEREM-NA NA ÍNTEGRA,TIRAREM AS VOSSAS CONCLUSÕES COMO MUITOS PARECE ESTAREM A TIRAR NAS REDES SOCIAIS,POR MIM APLAUDO A CORAGEM/FRONTALIDADE DE JOSÉ GOMES FERREIRA,SABEM EM NÃO DIRIA MELHOR....

NOVA ADENDA:

DEIXO AQUI MAIS UMA OPINIÃO ABALIZADA SOBRE ESTA MATÉRIA DE ALGUÉM "INSUSPEITO"(DIRIA EU)....

http://www.publico.pt/opiniao/jornal/a-brigada-do-reumatico-27997163

 

 

A brigada do reumático

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:51


DEMAGÓGICOS...DA NOSSA PRAÇA!

por O Fiscal, em 09.03.14

O QUE MAIS ABUNDA POR AÍ SÃO UNS TAIS " DEMAGÓGICOS " QUE NEM A OMBRIEDADE TÊM DE ASSUMIR CULPAS PERANTE OS PORTUGUESES QUE MAIS ESTÃO A SOFRER E AINDA TÊM MUITAS VEZES A DESCONTRACÇÃO DE ATIRAR PEDRAS A QUEM POUCO OU NADA CONTRIBUIU PARA TAL....

AO SR. TEIXEIRA DOS SANTOS QUE FOI MF DOS GOVERNOS " SÓCRATES "DE 2005 A 2011 ESPERAVA EU QUE FOSSE UM POUCO DIFERENTE EM CERTAS ABORDAGENS...MAS...

 

http://www.noticiasaominuto.com/economia/185722/sera-dificil-reduzir-divida-para-60-do-pib-em-20-anos#.UxyC64WsC0k

 

Teixeira dos Santos "Será difícil reduzir dívida para 60% do PIB em 20 anos"

 

O antigo ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos diz que será muito difícil a Portugal conseguir reduzir a dívida pública para 60% do Produto Interno Bruto (PIB) como obrigam as novas regras europeias.

 

Economia

Será difícil reduzir dívida para 60% do PIB em 20 anos

 

 

NÃO...NÃO É ESTA DECLARAÇÃO DE TS QUE ME DEIXA ESTUPEFACTO...MAS SIM O ELE NÃO ASSUMIR QUE QUANDO ENTROU PARA MF O RÁCIO DA DÍVIDA PÚBLICA ESTAVA PERFEITAMENTE CONTROLADO E DENTRO DO LIMITE QUE ORA REFERE MAS QUE QUANDO SAIU O MESMO JÁ SUPERAVA UM TANTO OS 100%....

AFINAL...MAIS PALAVRAS PARA QUÊ?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D