Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



http://www.publico.pt/economia/noticia/taxa-de-desemprego-fica-nos-124-em-junho-1703594

Taxa de desemprego fica nos 12,4% em Junho

................

Tendência decrescente

Depois de ter atingido um máximo de 17,5% em Janeiro de 2013, a taxa de desemprego oficial em Portugal tem vindo a revelar uma tendência decrescente, à medida que a economia regressou igualmente a taxas de crescimento positivas.

Considerando a totalidade da legislatura até agora, verifica-se que a taxa de desemprego em Junho de 2011 e Junho de 2015 (este último, um valor provisório) é praticamente idêntica, sendo respectivamente de 12,3% e 12,4%..........

Comentários:

 

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Parafraseando o distinto(?) socrático deputado socialista/figura de proa do actual PS, sr. Pedro Nuno Santos **, ontem aos jornalistas (o tal que lá muito atrás secundou Sócrates no " a dívida não é para pagar ",lembram-se?) «« taxa de desemprego em 12,4% ora essa, " isso é tudo mentira " como aliás já o sublinhou também o nosso líder António Costa " »», mas como assim sr. Pedro?, ora essa o governo(ou será o INE?) manipula a seu belo prazer e com intuitos eleitoralistas os números(tal e qual como o faz em inúmeros outros dados quando lhe convém), mas sr. Pedro, quando os números apontam em desabono do governo o PS vem logo a terreiro, não dizendo que são falsos mas sim verdadeiros, fazendo gáudio dos alertas socialistas?..bem..isso agora não vem para aqui..claro terão dito os jornalistas!

NOTA - ** ressalva minha...http://www.tvi24.iol.pt/economia/banqueiros/divida-nao-pagamos-estou-a-marimbar-me.....

 

«Dívida: não pagamos. Estou a marimbar-me»

Vice-presidente da bancada parlamentar socialista/ Pedro Nuno Santos / sugere que Portugal suspenda o pagamento das dívidas. «Uma bomba atómica» que o país pode usar na «cara dos alemães e franceses»......  15 de Dezembro de 2011 às 08:23

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:13


MAIS PALAVRAS PARA QUÊ !

por O Fiscal, em 31.07.15

PARAFRASEANDO UM CÉLEBRE ANÚNCIO DOS PRIMÓRDIOS DO NASCIMENTO DA TV CÁ PELO NOSSO BURGO / lembre-se «« publicidade á pasta dentífrica couto »», APLICAVA-A AQUI EM ADAPTAÇÃO :

" PALAVRAS PARA QUÊ!... É UMA ARTISTA MUNDIAL ":

http://www.publico.pt/mundo/noticia/fmi-pode-nao-participar-no-novo-resgate-a-grecia-1703672

FMI pode não participar no novo resgate à Grécia

Negociações começam sexta-feira em Atenas.

Só se se a UE fizer um "importante" alívio à dívida de Atenas é que esta poderá tornar-se sustentável, frisa Christine Lagarde

O Fundo Monetário Internacional (FMI) não vai participar no terceiro programa de assistência à Grécia se não houver garantias de alívio da dívida por parte da União Europeia e de aplicação completa de um pacote de reformas pelo Governo de Atenas.

"O FMI só participará se estas duas condições forem cumpridas", disse um dirigente da organização em Washington, citado pela agência Reuters, indicando que este processo poderá demorar meses. Sexta-feira, o ministro das Finanças grego encontra-se pela primeira vez em Atenas com os credores para negociar o novo empréstimo, no valor esperado de 82 mil milhões de euros a três anos.

Nos termos do acordo alcançado em Bruxelas a 13 de Julho, os europeus colocaram como condição para um novo resgate à Grécia a participação do FMI. 

Segundo o mesmo responsável, que pediu anonimato, a instituição vai continuar a participar nas negociações em curso na capital grega, mas só poderá apoiar o programa se o considerar completo e for garantida a sustentabilidade da dívida a médio prazo. Pelo seu lado, o Ministério das Finanças grego sublinhou que "a posição do FMI sobre a viabilidade da dúvida não é nova". 

A instituição liderada por Christine Lagarde considera que este duplo objectivo só será atingido com "decisões difíceis" da parte de Atenas e dos europeus. Mas, para o FMI, as negociações entre a Grécia e os credores continuam sem abordar "um certo número de questões cruciais para um programa de médio prazo", e o a organização não pode conceder empréstimos a "um país cujo dívida não considera sustentável", disse o dirigente, citado pela AFP. 

A dívida grega, que ronda os 170% do Produto Interno Bruto, não satisfaz os critérios do FMI. Só se se a União Europeia aceitar fazer um "importante" alívio à dívida de Atenas é que esta poderá tornar-se sustentável, tem repetido a directora-geral do FMI, Christine Lagarde.

Mas, até agora, os parceiros europeus da Grécia apenas admitiram ponderar a opção de aliviar a dívida, enquanto o FMI, segundo o responsável, quer um compromisso "concreto e explícito" sobre esta questão.

Esta posição do FMI surge depois de o jornal britânico Financial Times ter referido que numa reunião do conselho de administração realizada na quarta-feira a instituição foi informada das dificuldades de participação num terceiro resgate à Grécia devido à elevada dívida do país e ao fraco nível de aplicação das reformas.

Segundo o jornal, a posição do FMI poderá ter consequências significativas, dado que a Alemanha tem afirmado que só conseguirá a aprovação do resgate de 86 mil milhões de euros no Parlamento de Berlim se a instituição estiver envolvida.

Comentários:

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

É caso para nos interrogarmos onde será que a srª Christine Lagarde quererá chegar?. Ainda não há muito tempo era o sr.Tsipras que não queria o FMI envolvido com a Grécia, agora o FMI diz que só entra no 3º(terceiro?) resgate aos gregos se for desde já acordado um perdão(parcial? - total?) da dívida helénica(curioso como isto coincide com a primordial/prévia reivindicação de Tsipras, de modo um tanto escondida desde sempre). Porque será que o FMI não tomou já a decisão de "abdicar!"da sua quota parte nessa dívida, aliás, poderia ter aproveitado a ocasião para o ter começado a fazer ainda há poucas semanas quando a Grécia falhou perante ele um pagamento, só solvido após uma injecção de emergência de uns milhares de milhões. Esperemos que a UE/EURO/vg.Portugal não ceda a esta chantagem(!).!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23


REMAR COM OU CONTRA A MARÉ!

por O Fiscal, em 29.07.15

http://www.noticiasaominuto.com/

 

1- Magistrados passam a ser responsáveis por atrasos

Reduzir o tempo das decisões, aumentar funcionários e criar transportes gratuitos para deslocações a tribunais são os objetivos que o Ministério Justiça quer ver cumpridos até 2018.....

                                                              

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:11


QUIÇÁ " UM ALERTA ELEITORAL " !

por O Fiscal, em 27.07.15

ACABEI DE VER O " OLHOS NOS OLHOS " DA TVI24, DESDE HÁ ANOS DA RESPONSABILIDADE DO SR. MEDINA CARREIRA, COMO MODERADOR O SR. JOSÉ ALBERTO CARVALHO,CONVIDADO ESPECIAL O PROFESSOR UNIVERSITÁRIO SR. JORGE BRAVO(especialista da área) E O TEMA " PENSÕES ".

PARECEU-ME UM PROGRAMA DEVERAS ELUCIDATIVO QUE DEVERIA SER VISTO(para meditação!) POR REFORMADOS, TRABALHADORES ACTUALMENTE NO ACTIVO E POR AQUELES EM EXPECTATIVA DE ENTRAREM NO MERCADO DE TRABALHO. DE FACTO A GRANDE MAIORIA DOS PORTUGUESES NÃO CONHECE A MECÂNICA DO SISTEMA(coisa que o sistema partidário também nunca teve interesse em esclarecer devidamente). ISSO FOI OBJECTO DE EXPLICAÇÃO TIPO (terra a terra! / designadamente quanto ás dificuldades do nosso sistema em vigor e suas possíveis consequências), MAS, TAMBÉM FOI OBJECTO DE APRECIAÇÃO O QUE ESTÁ EM CIMA DA MESA SOBRE O TEMA DA PARTE DOS DOIS PRINCIPAIS BLOCOS "PS E COLIGAÇÃO" CANDIDATOS ÁS LEGISLATIVAS DE 4 DE OUTUBRO PRÓXIMO E POSSÍVEIS ALTERNATIVAS....                              

O QUE CONCLUI?

Antes de mais como minha declaração de interesses, diria, sou aposentado da função pública desde há 13 anos com pensão ilíquida de 2,966 euros. ESTOU MAIS OU MENOS DENTRO, DA MECÂNICA DO SISTEMA DE PENSÕES E PLENAMENTE CONVICTO DA INEVITABILIDADE(de há muito) DO SISTEMA TER QUE SOFRER UMA PROFUNDA REFORMA(atingindo actuais e futuros pensionistas). SÓ QUE, HOJE, PENSIONISTA OU AINDA TRABALHADOR NO ACTIVO (de categoria idêntica) «« Á VISTA DESARMADA »» SERIA LEVADO A IR VOTAR PS/ANTÓNIO COSTA(é que diz ele não toca nas pensões actuais e vai baixar a tsu dos activos 4% / queria lá saber, ou ficaria com a reforma intocável ou iria descontar muito menos ficando com mais ao fim do mês), MAS!, ALTO LÁ, ESTA PROPOSTA NÃO TEM NADA DE " SOCIALISTA "(porque, por um lado não há solidariedade intergeracional  e por outro não há solidariedade dos mais relativamente aos menos / repare-se nos que mais beneficiam com os tais 4% - serão os dos salários mais baixos ou os dos mais altos?)...LOGO, " SAFA ", ATRÁS DO COSTA NÃO VOU....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:36


NEM MAIS !!!!

por O Fiscal, em 25.07.15

COM A DEVIDA VÉNIA:

BLOG - http://oinsurgente.org/

Campanhas “espontâneas”

O director de campanha de António Costa organiza um campanha “espontânea” durante a entrevista de Pedro Passos Coelho na TVI

campanhaespontanea

RESPOSTA - SABE SR. ASCENSO SIMÕES, ESTE SEU PS NÃO É O QUE FOI O MEU PS(claro que não o compreenderá...é que na altura em que me envolvi entusiasticamente nas lutas socialistas V. ainda não era um senhor)...SABE  «« TENHA JUÍZO DEMOCRÁTICO! »»....

E AINDA:

A “entrevista” a Pedro Passos Coelho na TVI (2)

Portugal como ele é. Por Helena Matos.

Se algo similar tivesse acontecido com um líder de esquerda a pátria estava em comoção. Assim é uma piada. Como era óbvio o painel que fez perguntas a Passos Coelho era muito diferente no tom e na atitude daquele que António Costa enfrentou.

A situação atingiu o ridículo com as intervenções de um jornalista estagiário da própria TVI a perguntar “Que expectativa me pode dar para que eu possa constituir família?” Coisa que faria todo o sentido perguntasse a José Alberto Carvalho que já agora não acho que tenha sido agressivo na entrevista a Passos mas que ali teve o momento mais aparvalhado da sua carreira: faz de conta que o jornalista sentado no painel não é da casa, este presta-se à mesma fantochada e toca do estagiário “faz de conta que trabalho longe” devidamente corroborado pelo “José Alberto faz de conta que não conheço este moço” perguntar a Passos Coelho quando terá o estagiário condições para constituir família. As melhores pessoas para lhe responder estavam ali bem ao pé e eram além do próprio José Alberto a direcção e a administração da TVI

877x658

Leitura complementar: A “entrevista” a Pedro Passos Coelho na TVI.

M/OPINIÃO:

OBVIAMENTE SRª HELENA MATOS... SÓ QUE A ESTAÇÃO TELEVISIVA É A MESMA(?)...ALIÁS SE ISTO SE TIVESSE PASSADO QUANDO DE ANTÓNIO COSTA CERTAMENTE,PELO MENOS,  JOSÉ ALBERTO CARVALHO E SÉRGIO FIGUEIREDO TERIAM DE IMEDIATO RECEBIDO UMA SMS, COISA QUE PPC(tenho 99,9% de certeza) NÃO FARÁ, PORQUE "ELE É MESMO ASSIM!".

E MAIS UM POUCO:

A “entrevista” a Pedro Passos Coelho na TVI

Não sei bem como classificar o que se passou na TVI no dia 23, mas “entrevista” não será certamente a designação mais adequada (e não apenas – ainda que também – pelos casos de Celso Miranda e Rodrigo Rivera).

Rodrigo_Rivera

Intervenção de Rodrigo Rivera na “entrevista” a Pedro Passos Coelho na TVI.

celso_miranda_2

celso_miranda

Intervenção de Celso Miranda na “entrevista” a Pedro Passos Coelho na TVI.

DIRIA AO SR. ANDRÉ AZEVEDO ALVES:

EU CLASSIFICARIA " O QUE SE PASSOU NA TVI NO DIA 23 " COMO «« UMA FARSA MUITO BEM MONTADA E INTENCIONADA! »».

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:33


DIREITO Á INDIGNAÇÃO!

por O Fiscal, em 23.07.15

" CHAMEM-ME O QUE QUISEREM ", MAS, HOJE QUERO DEIXAR AQUI EXPRESSO O MEU INTEGRAL REPÚDIO POR ALGO DE INÉDITO, QUE, COM MANIFESTA SURPRESA, ME FOI DADO CONSTATAR IN LOCO. É QUE SOU O QUE SE PODE CONSIDERAR UM PORTUGUÊS DE GEMA APAIXONADO PELA SUA HISTÓRIA E PELO SEU PATRIMÓNIO(que aliás considero, á base do que conheço em várias partes do mundo, dos mais emblemáticos).

««« ESTÁ SITUADO Á BEIRA MAR NO CONCELHO DE CASCAIS, Á SAÍDA DE SÃO JOÃO DO ESTORIL/ ALI MESMO ENTRE A MARGINAL E AS ESCARPAS DO OCEANO ATLÂNTICO, UM VELHINHO FORTE. NA PASSADA 3ª FEIRA AO PARTICIPAR NUM PASSEIO DE BARCO NA ZONA, FOI-ME REFERENCIADO PELO SEU TRIPULANTE TRATAR-SE DO COGNOMINADO " FORTE SALAZAR! "(coisa que para ele pouco lhe dizia, natural pela sua idade, mas que me apressei a elucidar), EM ESTADO ALGO PRECÁRIO(visto do lado marítimo). NO DIA SEGUINTE RESOLVI IR VÊ-LO PELO LADO TERRESTRE, TENDO OBSERVADO QUE, A ZONA ONDE SE ENQUADRA ESTÁ CERCADA POR ARAME/VEGETAÇÃO E QUE JUNTO A UM PORTÃO EM FERRO/FECHADO/SE OBSERVA UMA PLACA DE "PATRIMÓNIO DO EXÉRCITO" E NESSE PORTÃO UM ARCO "INSTITUTO DE ODIVELAS", ESTANDO, PELO QUE É VISÍVEL, DE "POUCO CUIDADO!". ENCONTRANDO-SE SOBRE A FALÉZIA, MESMO AO SEU LADO, O " ALCATRUZ BAR "(diga-se/ muito agradável) SENTEI-ME, BEBI UM CAFÉ E APROVEITEI OCASIÃO  PARA PERGUNTAR SE CONHECIAM ALGUMA UTILIZAÇÃO ÁQUELAS INSTALAÇÕES, SENDO-ME RESPONDIDO QUE ACHAVAM QUE NÃO MAS QUE PARECE TER SIDO ADQUIRIDO PELA CMCASCAIS. ESTE FORTE(salvo erro chamado de Stº António) ERA O LOCAL ESCOLHIDO PARA SUAS FÉRIAS DO HOMEM QUE CONDUZIU OS DESTINOS DO NOSSO PAÍS DURANTE QUASE 5O ANOS / ANTÓNIO DE OLIVEIRA SALAZAR(odiado por uns, condescendido por outros e aplaudido por alguns), NO QUAL AINDA COMO PRESIDENTE DO CONSELHO, JÁ COM IDADE BEM AVANÇADA, NO VERÃO DE 1968(salvo erro perpassarão no próximo dia 3/8 - 47 anos), SEGUNDO REZAM AS CRÓNICAS,TERÁ CAÍDO DUMA CADEIRA COM TOTAL PERDA DE CONHECIMENTO DE MODO IRRECUPERÁVEL E QUE HAVIA DE LEVAR Á SUA MORTE. ORA SE ESTA FORTIFICAÇÃO JÁ VINHA FAZENDO JUS DESDE OS TEMPOS IMEMORIAIS AO NOSSO PASSADO LUSITANO, NA NOSSA(de muitos ainda) CONTEMPORANIEDADE TAL MAIS SE ACENTUOU, PELO QUE, PASSOU, QUER SE QUEIRA OU NÃO, A ESTAR AINDA MAIS LIGADA Á HISTÓRIA DE PORTUGAL, DONDE CONSIDERAR LAMENTÁVEL QUE O PODER POLÍTICO DESDE OS FINAIS DOS ANOS SESSENTA ATÉ Á ACTUALIDADE NÃO LHE TENHA DADO A DEVIDA ATENÇÃO, SENDO ORA(caso a situação se confirme) DE ESPERAR QUE A CÂMARA MUNICIPAL DE CASCAIS LHE DÊ O DEVIDO RELEVO HISTÓRICO »»».   

 

    

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:46


ESTAREMOS PERANTE.... UM " TROCA-TINTAS "?

por O Fiscal, em 22.07.15

 

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/juncker-diz-que-portugal-se-opos-a-reestruturacao-da-divida-grega-antes-das-eleicoes-1702796

Juncker diz que Portugal se opôs a reestruturação da dívida grega antes das eleições

Numa entrevista ao jornal belga Le Soir, o presidente da Comissão Europeia revela que Portugal, Espanha e Irlanda se opuseram a um acordo de reestruturação da dívida grega antes de se realizarem as eleições nos seus países. Passos Coelho já veio dizer que deve haver "alguma confusão".

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker revelou, numa entrevista ao diário belga Le Soir publicada esta quarta-feira, que Portugal se opôs a que um alívio da dívida pública grega fosse discutido antes das eleições legislativas.

Numa entrevista focada nas longas negociações com a Grécia, que segundo o presidente do executivo comunitário só terminaram com um acordo devido ao "medo", Juncker, questionado sobre a questão da (in)sustentabilidade da dívida grega, revelou que, pessoalmente, pretendia que uma discussão sobre a questão tivesse ficado desde já agendada para Outubro, ideia que mereceu a oposição de Irlanda, Espanha e Portugal.

"Eu disse há vários meses a (Alexis) Tsipras (o primeiro-ministro grego) que a questão da dívida iria ser levantada, que iriamos resolvê-la, a partir do momento em que ele tivesse aplicado as primeiras medidas de fundo. Nas conclusões do Conselho, há uma frase que diz 'após a primeira avaliação'. Eu, no primeiro texto que os gregos recusaram, disse Outubro, para que Tsipras tivesse uma conquista. Mas essa data acabou por ser rejeitada, porque alguns países, Irlanda, Portugal, Espanha, não o desejavam antes das eleições", revelou Juncker.

A elevada dívida pública da Grécia, que representa cerca de 180% do PIB, ou seja, quase o dobro da riqueza produzida, foi uma das questões mais polémicas ao longo das longas negociações entre Atenas e os credores internacionais, dividindo mesmo as instituições, com o Fundo Monetário Internacional a reclamar um alívio ou mesmo perdão parcial da dívida, que classifica da insustentável, algo que é rejeitado por países como a Alemanha.

No compromisso finalmente acordado a 13 de Julho, na cimeira da zona euro, sobre um terceiro programa de assistência à Grécia, ficou consagrado que a questão da dívida -- que poderá vir a ser aliviada através de um prolongamento dos prazos de pagamento e redução dos juros aplicados -- será analisada apenas depois da primeira avaliação ao terceiro programa de assistência, se esta for satisfatória.

Portugal e Espanha têm eleições legislativas este ano, sendo que, no caso português, a data do sufrágio (27 de Setembro ou 4 de Outubro) será esta quarta-feira à noite anunciada pelo Presidente da República.
 
O primeiro-ministro português considerou, em reacção a esta entrevista, que "deve haver alguma confusão do presidente da Comissão Europeia" ao ter afirmado que Portugal se opôs a que um alívio da dívida pública grega fosse discutido antes das eleições legislativas.

Em resposta a perguntas dos jornalistas, Pedro Passos Coelho disse que o que estava previsto era que as negociações ocorressem no final de Outubro, depois de uma primeira avaliação com êxito feita pelos credores: "Essas negociações aconteceriam sempre depois das eleições em Portugal".
 
Cavaco contraria Juncker
O Presidente da República disse ao início da tarde que as afirmações do presidente da Comissão Europeia de que Portugal se opôs à discussão do alívio da dívida pública grega antes das legislativas "não corresponde absolutamente nada" às informações de que dispõe.

"Não corresponde absolutamente nada àquilo que eu tenha informação e repito: o que múltiplos chefes de Estado e de Governo da Europa têm afirmado é que não há redução monetária da dívida, se há qualquer coisa nova que aconteceu hoje ou ontem [terça-feira] e que o senhor Juncker anunciou, o que posso dizer é que isso não corresponde aos documentos que foram aprovados e que me têm chegada à mão", afirmou Cavaco Silva.

O Chefe de Estado respondia em Mafra a questões dos jornalistas sobre a entrevista ao presidente da Comissão Europeia, publicada no diário belga Le Soir, no qual Jean-Claude Juncker revela que Portugal se opôs a que um alívio da dívida pública grega fosse discutido antes das eleições legislativas. "Penso que, se a afirmação é essa, faz pouco sentido, porque no documento que foi aprovado diz que não haverá redução monetária da dívida", disse Cavaco, no final de uma visita à Escola de Armas.

Insistindo que vários líderes europeus já afirmaram "categoricamente" que não haverá perdão da dívida, Cavaco Silva ressalvou que o que poderá existir é a extensão dos prazos de amortização e a redução dos juros e não "uma reestruturação da dívida no sentido da diminuição do valor monetário da dívida".

Pois, continuou, nenhum chefe de Estado ou de Governo quer neste momento chegar ao seu próprio país e anunciar aos contribuintes - "alguns com rendimentos muito mais baixos e per capita do que a Grécia" - que têm de pagar mais para a Grécia não satisfazer os seus compromissos em termos de reembolsos. "O que não quer dizer que mais tarde - por aquilo que já foi dito - não se pense na extensão dos prazos, na redução do pagamento de juros, mas isso é coisa diferente", acrescentou.

Em qualquer caso, frisou, esta questão "não tem qualquer relação com eleições em Portugal, em Espanha ou em qualquer outro país".

Comentários:

                                                                         

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES

Aposentado , Abrantes

Temos que ter algum cuidado com o que diz muitas vezes o sr. Jean-Claude Juncker, pois já não será a primeira vez que o atual Presidente da Comissão Europeia(na minha opinião uma das piores escolhas para o lugar das últimas décadas) diz algo que logo depois contraria. Contudo, pelo menos, as suas aqui declarações(se bem atentarmos algo contraditórias) terão sempre um mérito(i.e.) deita pela base o argumento interno daqueles que têm feito finca pé da ausência de vontade própria do nosso governo nas cimeiras europeias, a não ser que a intenção das palavras de JCJ fosse ressalvar o desde inicio defendido por Pedro Passos Coelho(i.e.) Portugal opor-se no atual contexto a qualquer perdão de dívida á Grécia(aliás com toda a justificação/digo eu)...!!!!!!!!

AH!...MAS JÁ AGORA...PERGUNTO EU:

-- COMO É EVIDENTE SOBRE ESTA AQUI TEMÁTICA " REESTRUTURAÇÃO DA DÍVIDA Á GRÉCIA " SABEMOS HÁ MUITO QUAL A POSIÇÃO DEFENDIDA POR UM DOS LADOS (o de Pedro Passos Coelho/líder da coligação/perdão não/alívio de prazos e juros talvez) EM DISPUTA ELEITORAL A 4 DE OUTUBRO, MAS, NÃO ME CONSTA QUE ATÉ AGORA SEJA CONHECIDA A POSIÇÃO SOBRE TAL DO OUTRO LADO PRINCIPAL(o de António Costa/líder PS);

-- MAS O MESMO SE VERIFICA SOBRE UMA OUTRA TEMÁTICA(na berra desde o início da semana) A PROPOSTA(de governo europeu/digo eu) DO PR DE FRANÇA SR.HOLANDE(do lado da coligação/PPC já disse ser afinal uma proposta de trabalho mas que encara com muita cautela), JÁ DO OUTRO LADO(o de António Costa/líder PS) NÃO ME CONSTA NADA;

PORQUE SERÁ?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:36


UM POUCO DE COERÊNCIA,sff

por O Fiscal, em 21.07.15

 

http://www.publico.pt/politica/noticia/costa-demarcase-da-governacao-do-ps-no-passado-1702663

Costa demarca-se da governação do PS no passado

Costa garantiu que o PS não voltará à política anterior à crise de 2008

O secretário-geral do PS afirmou esta segunda-feira que um Governo socialista não repetirá o modelo económico-financeiro aplicado até 2008, sustentando que é preciso fazer diferente e atacar os "bloqueios" que se colocam à competitividade do país.

António Costa falava na abertura de uma conferência promovida pela rádio TSF e pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) sobre política fiscal, na Fundação Champalimaud, em Lisboa, que será encerrada pelo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

Num discurso de cerca de 50 minutos, o líder socialista apresentou as suas medidas para "o aumento dos rendimentos disponíveis das famílias" - tendo em vista "combater o estrangulamento" da procura interna e possibilitar condições de investimento -, mas também salientou que um Governo do seu partido não repetirá receitas aplicadas no passado por outros executivos do PS.

Numa demarcação face a teses económico-financeiras preconizadas pelos socialistas num passado ainda recente, António Costa levantou a muito repetida questão segundo a qual, se não tivesse havido a crise internacional de 2008, a trajectória em que Portugal estava em 2007 "teria continuidade ou estava condenada".

"Essa pergunta poderá ter utilidade para os historiadores, mas, verdadeiramente, não tem utilidade prática para nenhum de nós, porque o que importa é o que efectivamente aconteceu e não aquilo que poderia não ter acontecido se a crise internacional não tivesse ocorrido. Uma coisa é certa: o tempo não volta para trás e, portanto, não estamos nem voltaremos a estar nas condições de 2007, nem são repetíveis as virtudes ou a vicissitudes que ocorreram em 2007. É preciso fazer diferente", declarou.

Fazer diferente, defendeu em seguida António Costa, é o país assumir que "o que o bloqueia" é a dificuldade da sua estrutura económica se adaptar a um novo quadro competitivo e que é preciso atacar na raiz aquilo que limita o quadro de competitividade nacional.

O secretário-geral do PS fez depois várias críticas à linha de política económica seguida pelo actual Governo, designadamente ao considerar que se "acreditou numa austeridade expansionistas, seja por via de uma enorme contracção do rendimento disponível, seja por via de um aumento da carga fiscal".

"A contracção do investimento é bem o reflexo desta política errada. É por isso necessário procurar um caminho alternativo", sustentou, embora, advertindo também que tal caminho "está sujeito a limitações no quadro europeu.

"Quem não quiser sujeitar-se a essas limitações coloca os seus países numa trajectória aventurosa de ruptura com a participação europeia", disse, agora(digo eu e antes?)* numa alusão crítica ao Governo grego do Syriza.

Ou seja, para o líder socialista, é preciso um exercício alternativo quer ao caminho do Governo, mas também quer a um percurso não compatível com a participação de Portugal na zona euro.

"São necessárias reformas estruturantes que combatam a estagnação quase constante que tem caracterizado o país pelo menos desde 2000 até hoje. Temos alternado crescimento residual com anos de recessão", apontou.

Tanto à entrada como à saída da conferência, o secretário-geral do PS recusou-se a prestar declarações aos jornalistas, que o pretendiam questionar sobre polémicas referentes ao processo de elaboração das listas de candidatos a deputados, cuja aprovação final está prevista para esta noite, durante uma reunião da Comissão Política Nacional do PS.   

Comentários:                                    

JOÃO ALEXANDRE-ABRANTES         * minha ressalva.

Aposentado , Abrantes

Não sei se haverá algum português com tendência PS, que, acredite neste " tapar o sol com a peneira " do sr. António Costa, mas, duma coisa tenho a certeza absoluta «« eu não acredito »» porquê?.. por um lado são atribuídas a AC afirmações sobre governação socialista de passado recente que se viesse a ser PM renegaria, pois é, logo ele que foi figura preponderante desse magistério, sem que alguma vez lhe fosse conhecido qualquer reparo, por outro lado, louve-se-lhe enfim um certo reconhecimento de que o problema atual do país nasceu lá por volta de 2000(direi eu/vg no outono de 2001) mas de que também tem sérias responsabilidades, e por fim, porque tenho sérias dúvidas sobre o êxito que terá no saneamento! encoberto! que está a seguir na formação das listas e da sua estratégia syrizana!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:02


ESTRANHO?.... SEM DÚVIDA MUITO ESTRANHO!

por O Fiscal, em 20.07.15

ALGO DE ESQUISITO SE PASSARÁ ALI PARA AS BANDAS DA TVI .... AQUI HÁ DIAS VERIFICOU-SE QUE O COMENTÁRIO SEMANAL NA TVI24 DE AUGUSTO SANTOS SILVA TINHA SIDO ABOLIDO(?) SEM QUE SE TENHA COMPREENDIDO O MOTIVO(ou será que ter-se-ia ficado a dever a uma crítica de ASS á estação pela substituição de um programa seu por desporto originando-lhe um chuto no trazeiro? mas já com substituição anunciada pelo actual presidente da câmara de lisboa Fernando Medina). HÁ POUCO MAIS DE 20 MINUTOS VERIFICOU-SE NO MESMO CANAL OUTRA SITUAÇÃO AINDA MAIS INSÓLITA. ESTANDO NO AR E EM DIRECTO O PROGRAMA "OLHOS NOS OLHOS/MEDINA CARREIRA"(note-se, também programa semanal das segundas feiras, com habitual horário de cerca das 21h35m ás 22h25m), DE REPENTE O MODERADOR PEDRO PINTO POR VOLTA DAS 22H 05M INTERROMPEU A CONVERSA DIZENDO QUE ACABOU! SEM QUALQUER CONCRECTA JUSTIFICAÇÃO, PERANTE O "BOCA ABERTA" DE MEDINA CARREIRA E CONVIDADO JOÃO FERREIRA DO AMARAL(reparei que alguns breves minutos depois se deu início em directo a programa sobre futebol e daí não estaremos de novo quiçá perante um chuto no trazeiro?)....EM PRINCÍPIO ESTAREMOS PERANTE ORDENS DA «« REGIE »», PORVENTURA AO MAIS ALTO NÍVEL. NÃO QUERO(por ora) DEIXAR QUALQUER SUSPEIÇÃO NO AR(que a tenho), MAS, LÁ QUE É ESTRANHO / ISSO É....

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28


A POLITIQUICE DOS " CASOS " !

por O Fiscal, em 20.07.15

NA INEXISTÊNCIA(?) DE " CASOS! " CÁ PELO BURGO, QUE SIRVAM DE ENTRETÉM! NOTICIOSO(muitas vezes explorados de modo um tanto ou quanto tendencioso) E NÃO SÓ, EIS QUE AGORA ESTAMOS A SER BOMBARDEADOS! TAMBÉM DO EXTERIOR(p.ex. vindo do lado  de lá do Atlântico/dos nossos irmãos brasileiros/dizem com salpicos! para o lado de cá), COMO É O CASO DO «« LAVA JATO »». ESTA MEGA INVESTIGAÇÃO JUDICIAL BRASILEIRA VOLTADA PARA UM CERTO CRIME DO " COLARINHO BRANCO! " QUE ATINGIRIA AO MAIS ALTO NÍVEL O PODER POLÍTICO/ECONÓMICO/FINANCEIRO, AFINAL, PARECE ESTENDERIA UM SEU TENTÁCULO(que atravessaria o oceano atlântico, assentaria por cá mas estender-se-ia a áfrica)VIA(uma dita) ««ODEBRECHT / CAMARGO CORREIA»». NO SEU OBJECTIVO PORTUGUÊS ESTARIA UMA TAL PRIVATIZAÇÃO " DA EGF ". JÁ HAVERIA POR CÁ QUEM ESTIVESSE A UNIR AS PONTAS DE SEUS VÉRTICES E CASO CURIOSO OU NEM TANTO, NÃO É QUE SE VÃO MESMO ENTRELAÇAR COM CASOS/INVESTIGAÇÕES AÍ NA BERLINDA(e com que figurantes?). ENTÃO E NÃO É QUE CERTAS " CAIXINHAS TELEVISIVAS ", MUITO EMBORA NÃO O ESTEJAM A OMITIR, PARECEM MAIS QUERER RESSALVAR(por imagens e palavras) UMA POSSÍVEL ABORDAGEM DO EX-PR LULA DA SILVA JUNTO DO PM PEDRO PASSOS COELHO(salvo erro aí por volta de 2011), NO SENTIDO DE UM QUIÇÁ FAVORECIMENTO DA ODEBRECHT NA EGF, SÓ QUE, DEPOIS NÃO REFEREM QUE AQUELA PRIVATIZAÇÃO SE OPEROU PARA A MOTTA ENGIL...PORQUE SERÁ? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:18

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Julho 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D